As lenga-lengas no universo infantil possuem a função de trazer alegria e ludicidade, além de trabalharem a memorização e o desenvolvimento da linguagem oral

 

Olá, pessoal!

Lenga-lenga, vocês sabem o que é isso?
Essa palavra é associada muitas vezes a algo vagaroso, lento, chato, monótono, que custa a passar... Não é mesmo? A lenga-lenga também pode ser sinônimo de conversa fiada, chata e repetitiva. Estes são alguns dos vários significados do termo. E seu uso irá depender da intenção e da ocasião. Querem ver?
Quantas e quantas vezes já ouvimos expressões mais ou menos assim:

- Para com essa lenga-lenga e vai logo estudar!
- Chega de lenga-lenga e vá tomar banho agora!
- Não aguento mais o lenga-lenga da mamãe!
- Chega de lenga-lenga e vá direto ao assunto!
- Sua tia está numa lenga-lenga para me explicar o que aconteceu ontem.
- Meu chefe está na maior lenga-lenga e ainda não me pagou este mês!

 

Lenga-lengas fazem parte do nosso vocabulário

Quando paramos para pensar, verificamos que as lenga-lengas estão realmente presentes em nosso vocabulário, não é verdade? E ao lermos esses exemplos, fica fácil lembrar das lenga-lengas que fazem parte do nosso cotidiano.
E já que aqui o nosso foco é falar sobre literatura infantil, vamos então conversar sobre a participação das lenga-lengas dentro dos textos e narrativas literárias.
Ao contrário do que representam as lenga-lengas no cotidiano dos adultos, como algo que demora a passar, no universo infantil elas possuem a função de trazer alegria e ludicidade, além de trabalharem a memorização e o desenvolvimento da linguagem oral.

 

As lenga-lengas nas narrativas para crianças

Ao entrar em contato com as lenga-lengas dentro da narrativa, a criança brinca utilizando-se da repetição e da memorização, atitudes essas que já fazem parte do seu dia a dia e que geralmente ela já aprecia, pois combinam o lúdico, a musicalidade, as rimas e até mesmo ritmos variados.
Assim, a possibilidade de repetir sons, palavras e expressões de forma musicalizada ou com rimas, faz com que nossos pequenos se interessem mais ainda pela história proposta.
Vamos ver alguns exemplos?
O primeiro deles é “Dona Baratinha recontada por Ana Maria Machado”. Uma antiga história, que vem passando de geração em geração. Sua protagonista, uma baratinha, encontra uma moeda no chão, acha que ficou rica e, por isso, já pode se casar. Durante a narrativa, todas as vezes que a personagem encontra um pretendente com quem poderia se casar, repete:
_ Quem quer se casar com a Dona Baratinha, que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha?
Como podemos ver, o lenga-lenga configura-se na repetição da frase e na rima entre as palavras “baratinha e caixinha”.
O segundo exemplo, escrito pela mesma autora, é “Menina Bonita do Laço de Fita”. É a história de uma linda menina negra e de um coelho branco que passa a narrativa inteira tentando ficar pretinho como ela. Por isso, ao longo do texto, ele repete várias vezes:
_ Menina Bonita do Laço de Fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha?
Mais uma vez, o lenga-lenga aparece na repetição da fala do coelho e na rima entre as palavras “bonita e fita”.
Não Confunda, de Eva Furnari é outro exemplo. O livro tem como objetivo alertar sobre o que não deve ser confundido, por isso faz o uso contínuo da frase “Não confunda!” durante toda a narrativa. A lenga-lenga é justamente essa expressão, que aparece repetidas vezes.
Já “E o dente ainda doía”, de Ana Terra, fala de um jacaré que sentia dor de dente e não conseguia achar uma solução para esse problema. Por isso, cada animal que o encontrava lhe dava um conselho para acabar com a dor, mas nada adiantava “e o dente ainda doía”, frase essa que configurou-se como a lenga-lenga do texto.
Essas são apenas alguns exemplos, entre muitas histórias do campo da literatura infantil, que trazem as lenga-lengas em seus textos.

 

As lenga-lengas e suas contribuições

Como vocês podem observar, as lenga-lengas agregam a ludicidade na narrativa, trazendo um ar de brincadeira e de alegria. Dessa forma, são capazes de despertar, ainda mais, o gosto pela leitura nas crianças. Afinal, quando escolhemos um livro recheado de lenga-lengas e o lemos para os nossos pequenos, eles acabam participando da contação com muito entusiasmo, uma vez que naturalmente, memorizam as frases, as rimas, as músicas e as repetem brincando.
Agora que vocês já sabem o que são as lenga-lengas no contexto da literatura infantil, que tal buscar uma história que trabalhe com esse recurso e contar para uma criança?
Tenho certeza que vocês irão se divertir muito.
E, deixando essa lenga-lenga de lado, vou ficando por aqui!

Um forte abraço e até a próxima!

Janayna

 

Referências:

FURNARI, Eva. Não Confunda.3 ed. São Paulo: Moderna, 2011.

MACHADO, Ana Maria. Menina bonita do laço de fita. 9 ed. São Paulo: Ática, 2011.

MACHADO, Ana Maria. Dona Baratinha. Ed. Renov. São Paulo: FTD, 2004.

TERRA, Ana. E o dente ainda doía. São Paulo: DCL, 2012.

 

 

Postagem anterior Postagem seguinte