Olá, pessoal!

 

Parlendas, vocês sabem o que é isso?

Se não sabem, com certeza já ouviram...  Vejam:

“Dedo mindinho,

Seu vizinho,

Pai de todos,

Fura bolo,

Mata piolho."

(Autor desconhecido).

 

Mas o que são parlendas?

Sou pequenino... Do tamanho de um botão... Carrego papai no bolso... E mamãe no coração.

Este versinho que vocês acabaram de ler faz parte do folclore infantil brasileiro e representa a tradição cultural do nosso povo. De autor desconhecido, “Sou pequenino” e muitas outras parlendas que veremos nesta conversa possuem um lugar de destaque no repertório de literatura oral que circula entre as nossas crianças, principalmente porque, além de terem a função de divertir, acalmar e serem fáceis de memorizar, contribuem para um aprendizado lúdico e significativo dos nossos pequenos.

As parlendas são versinhos infantis declamados durante as brincadeiras entre as crianças. Como fazem parte da tradição popular, cada pessoa pode conhecê-las de uma maneira diferente. Possuem rimas fáceis, geralmente em versos de cinco ou seis sílabas, e alguns de seus objetivos são: divertir, exercitar a memorização ou mesmo escolher quem inicia uma brincadeira.

Sabemos que muitas são as formas de brincar, sendo uma de suas funções proporcionar a interação com o outro, isto é, com os pares. Assim, brincadeiras que envolvam parlendas permitem que as crianças se vejam integradas ao grupo, bem como tenham “noção” de sua importância dentro dele. Para dizer uma parlenda, a criança precisa de um ou mais colegas, pois pronunciá-la sozinha “não tem graça”, afinal o que dá vida à brincadeira é a entonação das palavras.

As parlendas trazem ainda, a questão do “nonsense,” isto é, frases muitas vezes sem coerência e desprovidas de sentido como por exemplo: “Enganei um bobo... Na casca do ovo!” No entanto, este chamado “nonsense” é um grande aliado para o desenvolvimento da linguagem oral e estrita das crianças, haja vista que é capaz de aguçar a imaginação, proporcionando momentos de alegria e descontração.

A partir disso, fica claro que a importância de uma parlenda não é simplesmente o ritmo como ela se desenrola, mas também a capacidade do texto verbal criar na imaginação uma sequência de imagens associadas que dizem respeito ao senso lúdico. Ocorre que, como afirma Corsino (2006, p. 37) “as brincadeiras com as palavras, como as parlendas, [...] brincam exatamente com os campos fonético e semântico da língua. A rima e o ritmo, geralmente, se sobrepõem ao significado, gerando a graça do nonsense”.

Na primeira infância, as parlendas atendem as crianças porque resgatam o lúdico e, ao mesmo tempo, estimulam a criatividade, a interação e a atenção, considerando que trabalham os aspectos físicos por meio do movimento com o corpo, os psicológicos por meio das emoções vivenciadas, o intelectual por meio da concentração e do desafio e os sociais, na medida em que para ser recitada, necessita do envolvimento dos pares.  De acordo com Corsino (2006, p.38).

Brincando com estes elementos culturais, as crianças têm a oportunidade não apenas de interagir, se divertir e partilhar uma cultura lúdica transmitida entre as gerações, como também de reconhecer sons semelhantes, segmentar as palavras, completar versos dando novos sentidos, experimentar ritmos, enfim, de fazer uma análise bastante complexa da língua.

Dentro desse contexto, podemos verificar que as parlendas são formas literárias tradicionais que podem ser grandes aliadas para auxiliar no desenvolvimento da linguagem oral e escrita da criança, uma vez que brincar com as palavras é parte integrante das brincadeiras no cotidiano infantil.

Assim, ao participar de uma brincadeira com parlendas, a criança entra em contato com as diferentes culturas, expressando espontaneamente seus versos, seus sons, seus conhecimentos, suas emoções.

Mas, vocês devem estar se perguntando: o que as parlendas tem a ver com a Literatura Infantil?

Assim como a Literatura Infantil, as parlendas contribuem, sobremaneira, para o processo de alfabetização, ou seja, para o aprendizado da leitura e da escrita.

Com as parlendas as crianças leem o mundo! Leem nossas tradições culturais!

E você? Qual parlenda gostava de falar, brincar, imaginar?

Tente se lembrar e vamos lá: ensine para uma criança. Com certeza ela irá aprender e se divertir... E você também!

E aí, que tal começar?!

 

Até a próxima!

Janayna

 

Referências:  CORSINO, Patrícia.  Linguagem na Educação Infantil: as brincadeiras com as palavras e as palavras como brincadeiras. In: O cotidiano na Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Boletim Salto para o Futuro, 2006. p 28-45.

Postagem anterior Postagem seguinte