Olá, pessoal!

Sejam bem vindos ao blog da Bom Bom Books! Meu nome é Janayna Alves Brejo e a partir de agora utilizaremos esse espaço, quinzenalmente, para falar sobre o papel da Literatura Infantil na vida das crianças. Abordaremos assuntos que permeiam o tema e a sua importância para a formação de leitores, ressaltando que o contato das crianças com o livro precisa ser incentivado pelos adultos. Para tanto, torna-se fundamental despertar nas crianças o prazer em ler, pois a leitura de um livro aguça a imaginação e possibilita a construção de novos conhecimentos, uma vez que é portadora de informações e sentidos. Mas como fazer isso?

Convido vocês: pais, mães, professores, tios, tias, enfim, aqueles que gostam de ler para as crianças e que reconhecem o papel do adulto como leitor/mediador do livro de literatura junto à pequena infância, a baterem um papo comigo. Vamos lá?

Iniciando a nossa primeira conversa, que tal nos reportar a algumas lembranças de infância?

  • Que narrativa literária marcou a sua infância?
  • Que livros você gostava de ler quando criança?
  • Lembra-se de algumas das histórias clássicas, como Chapeuzinho Vermelho, A Bela Adormecida, Os três porquinhos, Rapunzel, Cinderela?
  • Qual ou quais delas você mais ouvia?
  • Quem lhe contava? Ou você as lia?

Muitas perguntas, não? E as respostas perpassam nossas mentes como um furacão! Mas tenho certeza que resposta para pelo menos uma dessas perguntas, você já tem. Sabe por quê? Porque as histórias infantis fazem parte da infância e, em algum momento dessa fase de nossas vidas, tivemos contato com elas.

Leciono a disciplina “Língua Portuguesa: conteúdos e metodologias na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental”, junto a acadêmicos do Curso de Pedagogia em Minas Gerais e, sempre que inicio minhas aulas com uma nova turma, faço aos futuros professores e professoras esses questionamentos que fiz para vocês. Sabem por quê? Somente quando olhamos para dentro de nós e realizamos um resgate da presença da Literatura Infantil em nossas vidas, é que realmente aprendemos a valorizá-la e, ao mesmo tempo, conseguimos observar o nosso papel de incentivadores da leitura junto às crianças que precisam, cada vez mais, da magia da literatura para se tornarem pessoas éticas e verdadeiramente mais humanas.

É a partir da Literatura Infantil que damos às crianças a oportunidade de pensar nos comportamentos humanos, naquilo que gostariam ou não de ser, nas atitudes a serem tomadas, nos riscos, nas conquistas, nos progressos ou desconfortos que podem ser causados por suas escolhas, nos sonhos, nas fantasias, nas vitórias ou insucessos. Além disso, as narrativas literárias apresentam diferentes possibilidades de enriquecimento intelectual, pessoal e social, pois ampliam a visão de mundo, estimulam o pensamento crítico, auxiliam na leitura fluente e aumentam o repertório de palavras, aprimorando o vocabulário desde a primeira infância. Portanto, quanto mais lemos, mais abrimos olhares, mais enriquecemos nossa linguagem, mais conhecemos as diferentes culturas e nos sentimos participantes do mundo a nossa volta.

Diante desses apontamentos, mais questionamentos nos vem em mente: como cumprir nosso papel de incentivadores da leitura junto às crianças? Isto é, como cumprir nossa função de trazer a Literatura Infantil para o cotidiano delas, a partir da leitura de histórias? Vamos então às dicas:

  • Se forem pequeninas, a estratégia é ler diversas e diferentes histórias. Deem preferência a livros que são ricos em ilustrações. Depois, converse com elas perguntando: o que vocês acharam da história? Qual foi a atitude daquele
    personagem? Vocês fariam o mesmo? Ou mudariam algo na história? Gostariam de ouvi-la novamente? Ou mandaria esse livro direto para a gaveta? Crianças adoram isso...
  • Ah! E se já souberem ler? Também vale ler para elas... Ou pode fazer alternância. Xiii... Mas o que é isso? Vocês leem uma página e as crianças outra. Vocês fazem a voz de um personagem e elas de outro... As crianças também podem ler a história para vocês. Trocar os papéis pode ser bastante divertido, experimentem! Leiam, contem, deem entonação à voz, deixem as crianças participarem ativamente deste momento. Permitam que manuseiem o livro, que observem as letras e ilustrações. Converse com elas sobre esses itens. E não se esqueçam de que o mais importante, nesses momentos de leitura, é demonstrar que o ato ler é prazeroso, é encantador, é divertido, é educativo e que precisa ser uma “leitura deleite”.

Mas o que é “leitura deleite”? Ah! Esse já é um assunto para o nosso próximo encontro... Por enquanto, deixo vocês refletindo sobre o assunto de hoje e coloco uma “pulguinha” atrás da orelha para a nossa próxima conversa. Ah! E não se esqueçam de deixar aqui suas perguntas, sugestões e comentários.

Até a próxima!
Janayna.

Referências: Brasil. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: formação de professores no pacto nacional pela alfabetização na idade certa/Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. - Brasília: MEC, SEB, 2012.

 

Postagem anterior Postagem seguinte